junho 25, 2012

Nova Esquerda com Brizola Neto?!?

NOVA ESQUERDA COM BRIZOLA NETO?!?
Prestem atenção nas “entrelinhas” da política brasileira...A presidenta Dilma, a pouco e pouco, vai marcando seu governo com o seu perfil político, com a sua CHANCELA! Ela começou politicamente no PDT sob o comando de Leonel Brizola!
Nas relações exteriores e aqui podemos colocar o “fiasco” que foi a Rio+20, acrescido de mais uma dos trapalhões da política externa (Marco Aurélio Garcia, o “megalonanico" Celso Amorim e o “filhote” Antonio Patriota) ao quererem interferir nos assuntos internos do Paraguai!!! Tudo sob o comando do “Beiçola de Caracas” (segundo Reynaldo Azevedo), o Hugo Chaves.







Ela sabe que o MERCOSUL não funciona; ela sabe que o Parlamento do MERCOSUL não foi implantado; ela sabe que a Argentina “boicota” os produtos brasileiros ao arrepio da lei comum do tratado; ela sabe que a Unasul só tem servido para posturas da “esquerda infantil e primata” sob o comando de Hugo Chaves... Logo, ela terá que colocar um proativo à frente do Itamaraty.
Mas é importante, nesta fase do “vale tudo” da política segundo os métodos antigos e superados, que se atente para a indicação do deputado federal BRIZOLA NETO para o Ministério do Trabalho. E não foi indicação do PDT, foi indicação PESSOAL da presidenta Dilma!

Brizola Neto NÃO é o Brizola, seu avô. Mas tem tido uma trajetória positiva na política, coerente com suas raízes históricas. Já teve o até exagerado “TIJOLAÇO” na internet, mas mantém uma postura contrária a essas “composições asquerosas” da política tupiniquim...

Analistas políticos estão vendo nesse mais jovem Ministro (33 anos) o surgimento de uma NOVA ESQUERDA: coerente, histórica e que veio para MUDAR os costumes políticos e construir uma grande Nação! Tudo sob o olhar e a CHANCELA da presidenta Dilma!



A FAXINA DO BRIZOLA NETO!
É preciso atenção ao ler este artigo do experiente jornalista Carlos Newton. Aí está a nova esquerda: ÉTICA, COERENTE E POSITIVA!
Carlos Newton
Como recomendava o cronista Maneco Muller, não convidem para o mesmo evento social o atual ministro do Trabalho, Brizola Neto, e o anterior, Carlos Lupi. Pode sair faísca.
Reportagem de Fernando Exman e João Villaverde, no jornal Valor, mostra que o ministro Brizola Neto já demitiu praticamente todas as executivos do alto escalão que trabalharam no período em que Lupi, presidente do PDT, foi ministro (abril de 2007 a dezembro de 2011)
Os três principais auxiliares de Lupi afastados por Brizola Neto são o secretário-executivo, Paulo Roberto Pinto, o secretário de políticas públicas de emprego, Carlo Roberto Simi, e a secretária de relações do trabalho, Zilmara Alencar. Das quatro secretarias do Ministério, apenas o secretário de Economia Solidária, Paul Singer, continua no cargo, por não ser indicação de Lupi, já que é antigo militante do PT.
A primeira a cair foi Zilmara, responsável desde março de 2010 pela homologação dos sindicatos no país. Criticada por algumas organização sindicais, em especial pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Zilmara foi substituída pelo sindicalista Manoel Messias, ex-dirigente da CUT. Antes de Zilmara, a secretaria de relações do trabalho fora ocupada por Luiz Antônio de Medeiros, fundador da Força Sindical.
Braço direito de Lupi e ministro interino por 160 dias, Paulo Roberto Pinto foi demitido da secretaria-executiva do ministério no dia seguinte à posse de Brizola Neto. O antigo secretário discursou no Planalto na cerimônia de posse do novo ministro e pretendia a permanência. Mas para o cargo, Brizola Neto nomeou o economista Carlos Antônio Sasse, que fora secretário da Fazenda nos governos Brizola e Garotinho no Rio de Janeiro. Sasse deixou o governo Garotinho depois de denunciar um suposto esquema de corrupção envolvendo fiscais do governo.
Já Carlo Roberto Simi, que comandava a principal secretaria do ministério há cinco anos, responsável pela formulação das políticas da pasta, foi substituído por Marcelo Aguiar, que era assessor parlamentar do ministério. A gestão de Simi foi especialmente criticada pela falta de “determinação” e de “objetivos claros”, segundo os repórteres do Valor.
Além de formular e gerir as políticas do ministério, Simi também presidia o Conselho do Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT), que nos últimos anos perdeu praticamente todas as suas prerrogativas, em especial a definição de estratégias para qualificar trabalhadores no país.
Enquanto isso, Lupi mostra sua sede de poder e se torna, ao mesmo tempo, presidente nacional do PDT, presidente regional e presidente municipal do partido no Rio de Janeiro. Impressionante.
(Tribuna da Imprensa, 23/06/2012)”
DONA MARTA SUPLICY MANDA SEU RECADO:

Em artigo publicado no domingo, a senadora Marta Suplicy tornou público o seu posicionamento. Foi a primeira a discordar do modo como Lula vem “usando” o PT. Depois, a deputada federal Luiza Erundina conseguiu a admiração da Nação Brasileira ao se posicionar contra a aliança de Lula e Maluf. Agora, Marta Suplicy reforça essa “aversão da alma brasileira” a essa política “rasteira” e sem “controle de qualidade” do ex-presidente:
“O modelo “realpolitik” se esgotou e parece que nem todos estão percebendo. Não dá mais para viver essa praga que se entranhou no sistema político brasileiro. Erva daninha que corrói valores, exclui a participação, nega a democracia, desestimula o mérito e ignora a ética.
Nascida na Alemanha, a expressão “realpolitik”, segundo Luis Fernando Verissimo, é um termo invocado quando um acordo ou arranjo político agride o bom-senso ou a moral.
Os cidadãos eleitores, que ainda se dão ao trabalho de acompanhar a política, não suportam mais essa prática. Podem até entender a necessidade das composições, alianças e acordos que se tornaram imprescindíveis no Brasil muito em função do nosso sistema eleitoral, do número de partidos e do quanto tornou-se precioso o tempo de TV.
Os que criticam essa modalidade e as formas de fazer política, vistas como “normais” há décadas, têm hoje consciência de que elas são um terrível mal que compromete a ação de governar. Mas quando, pela sua simbologia, ferem os limites do bom-senso e têm a marca do estapafúrdio, tornam-se incompreensíveis para a população e são por ela rechaçadas. Encontram-se além dos limites da própria “realpolitik”.
Os sentimentos de indignação, insatisfação e, por fim, impotência estão fazendo com que uma parcela grande das pessoas se desinteresse pela política. A maioria dos jovens quer distância. E o povo, mais escolado, começa a achar “tudo igual”, o que acaba provocando o mesmo desinteresse.
(artigo da senadora Marta Suplicy – Folha 24/06/2012)”

RESUMO DA ÓPERA: não é fácil lidar com uma política tão fisiológica e imediatista. Mas é preciso insistir, persistir e ter esperanças de que tudo pode e deve mudar. Tem muita gente boa, tem muitos políticos íntegros, tem muito brasileiro disposto a apoiar a renovação lenta e gradual, é verdade, que a presidenta Dilma está impondo à Nação Brasileira.



9 comentários:

Antonio C M Macedo disse...

Delmanto
Mais um artigo correto de sua autoria, pontuando sobre as questões políticas que afligem a nossa democracia.
Abraços
Ps. Sou leitor de "carteirinha" e me sento na primeira fila.

Delmanto disse...

Nem vamos perder tempo em ficar comentando a “união” entre Maluf e Lula. É muito pequena. É política menor. Só o Maluf levou vantagem...Foi um factóide que funcionou, ou seja, conseguiu-se colocar em “evidência” a candidatura do Fernando Haddad. Há mais de 1 semana que não se fala em outra coisa. Nem do Serra e nem da Convenção do PSDB...
Foi um FACTÓIDE, acorda ZÉ MANÉ!!!
O preço a ser pago?
Ah, aí são outros quinhentos...O Lula já beijou as mãos do Jader Barbalho, ficou “amigo de infância”, um quase irmão do Sarney (do SARNEY!!!), então, ficar amigo, verdadeira “alma gêmea” do Maluf não é difícil de entender.
Desde que cedeu à “piroctenia publicitária” do Duda Mendonça e aceitou ser o “Lulinha paz e amor”, o PT nunca mais seria o mesmo. Daí as migrações: Plínio de Arruda Sampaio, Heloisa Helena, Erundina e tantos outros companheiros que, envergonhados e descrentes, seguiram por outras estradas na busca do tempo perdido e do sonho desfeito.
A presidenta Dilma pode vir a ser a NOVA ESQUERDA, colocando, aos poucos - é verdade ! – os companheiros comprometidos com uma política limpa, coerente e renovadora.
Brizola Neto!
prestem atenção nesse nome!!!

Anônimo disse...

Caro Antonio,
Você sempre atento aos grandes temas da política brasileira. É um alento! Reforça nosso ânimo a continuar procurando caminhos e soluções para o Brasil.
Ninguém é “dono da verdade” mas, com certeza, não somos a “lixeira” da pátria onde se coloca, sempre, o que há de pior na atuação pública dos oportunistas e amorais...
Vamos em frente! Enquanto pudermos e enquanto houver brasileiros como você, HAVERÁ SEMPRE A ESPERANÇA!
Obrigado”
Grande abraço.

Anônimo disse...

Os nomes dos políticos que saíram do PT foi muito certa. Queria acrescentar o nome da “guerreira” Marina Silva. E dos políticos “limpos” que não são do PT, é bom destacar o nome do deputado federal Miro Teixeira e mais o Pedro Simon, o Jarbas Vasconcelos e vai longe.... Tem muita gente que pode formar na NOVA ESQUERDA. O PT está cheio de descontentes.Afinal, seguir esse caminho é negar as DIRETAS JÁ, a DEMOCRATIAÇÃO e vamos voltar para a Ditadura Militar, ou não? Maluf, argh!!! (carla.bueno2011@bol.com.br)

Anônimo disse...

Essa “palhaçada” do Brasil em relação ao Paraguai é RIDÍCULA! O “REPRODUTOR DE BATINA”, conhecido por ex-presidente Lugo, MUITO DO “SEM-VERGONHA” É UM COCô!
O Brasil precisa cair fora da linha “trapalhões em desfile” que é essa do “megalonanico” Celso Amorim e do “filhote” Patriota. Essa “molecagem” NÃO combina com estilo “executiva competente” da presidenta Dilma.
Tudo foi feito de acordo com a lei no Paraguai...Porque o Brasil não protesta quando o Chaves (o Beiçola, segundo o Reynaldo Azevedo), usando as leis de seu país, se transforma em presidente eterno?!?
O Mesmo está sendo feito pelo Equador e pela Bolívia...
Saia dessa, presidenta Dilma, saia dessa . É FRIA!!!
(maria-de-lourdes2004@hotmail.com)

Anônimo disse...

Muito oportuna a análise técnica e real que Cesar Maia fez em seu blog. Vamos ver:
“FHC, Fujimori e Menem inauguraram um ciclo onde os presidentes se elegem com uma regra constitucional e, uma vez eleitos, mudam esta regra para se reeleger. Chávez aprimorou este processo e criou o "golpe constitucional". Uma eleição direta de presidente sempre dá a este uma forte popularidade inicial. É aí que entra o kit-Chávez. Nesse momento mudam a Constituição, mudam o Congresso e passam a ser quase-ditadores constitucionais. Ortega na Nicarágua, Morales na Bolívia e Correa no Equador seguiram a receita. Kirchner, em boa medida, também (governar com lei delegada geral).
O caso do Paraguai está inserido dentro desse mesmo kit-Chávez de golpe constitucional. Tudo feito -formalmente- dentro da Constituição. A Constituição do Paraguai permite o "impeachment" por mau desempenho da função. Na prática, esse artigo transfere ao legislativo todo o poder, lembrando o governo do parlamento no Chile com a queda de Balmaceda em 1891.
Chávez, Morales e Correa se elegeram sem base parlamentar. Em seguida, dissolveram os parlamentos e elegeram um novo, de "propriedade" deles. No Brasil, a base parlamentar -chamada de aliada- é construída a golpes de troca de "benefícios" por votos. No Paraguai, a tradição e força do Partido Colorado não permitiu nem uma coisa nem outra.
Chávez deu a receita, mas quando ela foi aplicada pela direita, no Paraguai, contra seu grupo bolivariano, Maduro, chanceler venezuelano (e provavelmente seu sucessor), deitou falação em Asunción, enquanto o Senado deliberava. No Paraguai se aplicou o kit-Chávez com todo o lastro Constitucional. Mas pela direita. Alemanha e Espanha reconheceram o novo governo paraguaio. Para o parlamentarismo é um processo normal a queda de gabinete com clara minoria.” (p.gomes@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

Essa Nova Esquerda pode mudar a nossa “vergonhosa” política externa. Durante os 8 anos do Lula, esse Celso Amorim sob as ordens do Marco Aurélio Garcia jogou a fama de boa política do Itamaraty no lixo! Só fizeram coisas erradas e prejudicaram o Brasil. Ainda conseguiram colocar esse “marionete” do Antonio Patriota no Itamaraty. Durante o governo do Lula, fizeram com ele tivesse contato e apertasse a mão dos piores Ditadores do Mundo. Eles obedecem a orientação do Hugo Chávez, aquele “sargentão” sem visão e que quer ser o “Libertador” do América Latina, claro que sendo ele o Imperador Eterno...
É preciso acabar com essa incompetência na política externa brasileira. A Rio+20 foi a gota d’água: conseguiram apresentar um documento medíocre, fraco, diria até COVARDE! O Brasil tinha que levantar as grandes bandeiras a favor do DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, INDEPENDENTE DE ESPERAR A APROVAÇÃO UNÂNIME DO DOCUMENTO. Tinha que MARCAR posição. Assumir a liderança na defesa do meio ambiente, da economia verde e do desenvolvimento sustentável!
Mas o Itamaraty acabou apresentando um documento que é a cara do Antonio Patriota: anão, insignificante, desprezível.
E sempre é bom lembrar que o Celso Amorim que indicou e nomeou o Antonio Patriota que ele serve a TODOS OS SENHORES! Durante o Regime Militar , ele, Celso Amorim, ficou na Embrafilmes, “lambendo as botas dos militares”, como faz agora com o Lula/Hugo Chaves. É mesmo um trapalhão/parasita esse melagonanico...rsrsrs
(bastosgustavo@yahoo.com.br)

Anônimo disse...

E a “falsa” esquerda do PT, com a orientação dos “trapalhões” da política externa brasileira (Marco Aurélio Garcia, Celso Amorim/megalonanico e Antonio Patriota), suspendem o Paraguai do MERCOSUL e colocam a Venezuela (do ditador Hugo Chaves) no MERCOSUL. É o fim da picada... Dona Dilma precisa por ordem na casa...A política externa brasileira está uma VERGONHA!!!
(pinto.rodolfo28@yahoo.com.br)

Delmanto disse...

Importante análise política de Cesar Maia sobre o “papelão e a subserviência” do Brasil ao “Beiçola de Caracas” (Hugo Chaves):
CHÁVEZ COMANDA O ESPETÁCULO!
1. É ingenuidade pensar que ALBA (o grupo de países associados à aliança bolivariana) seja composta apenas por aqueles formalmente inscritos, como os explícitos Venezuela, Nicarágua, Equador e Bolívia.2. Bolivarianos do ponto de vista politico são todos aqueles que, ao menor estalar de dedos de Chávez, seguem suas palavras de ordem, automaticamente e sem pestanejar. Nesse sentido, o Brasil de Lula e de Dilma, é bolivariano. Um com o caso Zelaya em Honduras e a outra com o caso Lugo no Paraguai.
3. Também são -nesse sentido- Bolivarianos, a Argentina e o Uruguai, da mesma forma reagiram nos casos Zelaya e Lugo. Mujica -presidente do Uruguai- declarou, no final de 2011, que como o Senado do Paraguai não votava o ingresso da Venezuela no Mercosul, que o presidente Lugo se lixasse para o Congresso e aprovasse o ingresso da Venezuela por um decreto seu. Até o presidente do Chile tergiversou debaixo do superego de Chávez no caso do Paraguai.
4. Foi lastimável, no dia da votação da destituição de Lugo, que chanceleres de países do Unasul, como formiguinhas em fila, assistissem às perorações do chanceler Maduro da Venezuela e do secretário da Unasul, também chavista venezuelano.
5. Por que em casos de escandalosos atropelamentos aos direitos dos opositores, varrição das regras constitucionais, agressões à liberdade de imprensa e coisas no estilo, nenhum presidente do Unasul balbucia uma palavra se quer? Silêncio cúmplice, com Chávez, com Corrêa e com Morales.6. Tragicômico papel do secretário geral da OEA, que sem sequer reunir o pleno e sem ser credenciado como porta voz de quem quer que seja, deitou falação orquestrando-se com Chávez, no caso do Paraguai.
7. Os fatos mostram e demonstram que Chávez exerce uma liderança que vai muito além dos países da ALBA. E que, lastimavelmente, o Brasil e a Argentina fazem parte deste coro de subservientes políticos.”

Postar um comentário