agosto 17, 2013

Grupo Escoteiro
Padre Anchieta/Botucatu:
60 Anos!

Grupo Escoteiro Padre Anchieta/Botucatu

O GEPA - 27 – GRUPO ESCOTEIRO PADRE ANCHIETA – 27, completou 60 anos de atividades ininterruptas na cidade de Botucatu no dia 29 de abril, sendo homenageado pela Câmara Municipal de Botucatu, em 6 de maio, quando o Chefe do Grupo de Escoteiros, Wladimir Luiz Rios Junior, apresentou da tribuna do Poder Legislativo o histórico do GEPA – 27 e de suas atividades.

O Chefe Rios aproveitou para destacar que Botucatu sempre abrigou o “espírito escoteiro”, pois antes mesmo da fundação do Grupo Escoteiro “Padre Anchieta”, já havia a prática do escotismo em Botucatu.
O Chefe Rios recebe do prefeito Jamil Cury a formalização da doação do terreno ao GEPA

Hoje, com sede própria, muito bem localizada, o GEPA está cada vez mais consolidado, contando com 65 associados, jovens na faixa etária de 7 a 21 anos e conta, sempre, com adultos voluntários que já vivenciaram o escotismo.
clique na imagem para ampliá-la
Rios agradeceu em especial aos vereadores Carreira e Lelo Pagani que foram autores de projetos que, respectivamente, declarou o Grupo “Padre Anchieta” de utilidade pública e incluiu o dia 24 de abril, o Dia do Escoteiro, no Calendário Oficial de Botucatu. Em matéria especial para o jornal “Diário da Serra”, de 16/08/2013, Maysa Santos faz um histórico do GEPA:

“Fundado em 16 de agosto de 1953, por Dom Melhado Campos, o GEPA-27 comemora 60 anos de atividades. O grupo recebe crianças a partir de 7 anos de idade, que podem fazer parte do escotismo, como lobinhos. A partir daí, cada faixa etária recebe uma denominação diferente e também uma função: com 11 anos são escoteiros; com 15 são sênior/guias e dos 18 aos 21 anos são pioneiros, Os adultos podem fazer parte do grupo de chefes.
As atividades são realizadas pelo grupo na sede e em acampamentos. Dentre elas estão: canoagem, rapel, caminhadas, excursões e explorações. Todas são programadas obedecendo ao Método Escoteiro, criado pelo fundador do escotismo Baden Powll, cujo objetivo é o desenvolvimento do jovem, priorizando os valores e a honra através da prática do trabalho em equipe e da vida ao ar livre.
Grupo Escoteiro Padre Anchieta fez caminhada até uma cachoeira na Demétria
clique na imagem para ampliá-la

O diretor-administrativo do GEPA-27, Marco Aurélio Menegon, informou que o intuito do grupo é cumprir como projeto educativo instituído pelo escotismo que tem como objetivo a formação de bons cidadãos. “Para que esse objetivo seja atingido, buscamos preparar os chefes e dar condições de logísticas e conhecimentos para que eles apliquem o Método Escoteiro em sua íntegra”, afirmou Menegon.
Segundo ele, os benefícios do escotismo para a vida não se resumem somente à criança e ao jovem, ele também se volta à família e à relação positiva entre pais e filhos. Os ensinamentos são direcionados para a construção do caráter do indivíduo, influenciando na personalidade tanto da criança e do jovem como na do adulto para que assumam seu próprio crescimento e tornem-se um exemplo de fraternidade, lealdade, responsabilidade, respeito e disciplina.
O GEPA-27 é mantido financeiramente através das mensalidades dos sócios, doações de empresas, simpatizantes e o apoio da prefeitura. “Dependemos dessas doações principalmente quando precisamos fazer alguma reforma ou construção, ou até mesmo para realizarmos alguns eventos”, conta o diretor.”

Em Botucatu, os ESCOTEIROS, os LOBINHOS e as BANDEIRANTES sempre tiveram amplo apoio e aceitação de nossa sociedade civil. Celeiro de futuros CIDADÃOS PRESTANTES, o escotismo teve, em 2012 (dezembro) o reconhecimento feito pela Câmara Municipal de São Paulo que conferiu a “MEDALHA ESCOTISTA MARIO COVAS JÚNIOR DE AÇÃO VOLUNTÁRIA” ao “Senhor Chefe Escoteiro Antônio Caetano Pereira Simões”. Hoje, Antônio Caetano Simões ocupa, além de suas atividades como Professor Titular da Faculdade de Medicina da UNESP, o cargo de Diretor Presidente do 25º Distrito Escoteiro de Bauru.

Importante, também, registrarmos o evento ocorrido há 1 ano atrás, em Bauru, o encontro Distrital + 20 que teve como tema a “Sustentabilidade”. O jornal on-line Acontece Botucatu registrou o evento com fotos de David Devidé:

“O Grupo Escoteiro Padre Anchieta de Botucatu participou neste ultimo final de semana o encontro Distrital + 20 que teve como tema a principal a “Sustentabilidade”. Estiveram presentes 9 grupos de 8 cidades que pertence ao Distrito. Evento foi realizado na Fazenda Escola Experimental Agrícola da Unesp, da Cidade de São Manuel.

São eles: grupo de escoteiro “Cristo Rei” de Marília, “Campo Salles” de Barra Bonita, “Bariry” da cidade de Bariri, “Santo Antonio” de Garça, “Ibica re ig”, de Jaú, “Padre Anchieta” de Botucatu, “Tiradentes” e o “Guia Lopes” da cidade de Bauru e o grupo “Paulo Cesar Marcelino” que veio da cidade de Promissão, que é o distrito mais longe com três horas de viagem.

O evento dirigido pelo diretor presidente do 25o Distrito Escoteiro Bauru, Antonio Caetano Simões, contou com um efetivo 200 escoteiros, entre garotos e garotas da tropa e mais 20 pessoas entre pais e voluntários que auxiliaram na cozinha. A abertura solene teve os atos cívicos como o Hino Nacional, canção de Botucatu e hasteamento das bandeiras e flâmulas “Biro” dos grupos escoteiros e logo após os atos começaram as competições e gincanas entre os grupos.
Fotos de David Devidé/ jornal on-line Acontece Botucatu
clique na imagem para ampliá-la
“Tal evento constitui instrumento importante do processo de formação dos jovens sob nossa responsabilidade, no sentido de oferecer a eles a oportunidade de cumprir um dos itens do método educacional aplicado pela União dos Escoteiros do Brasil, qual seja, “aprender fazendo”, bem como reforçar os laços de fraternidade, um dos pilares de sustentação do Movimento Escoteiro”, explica o professor Simões.

Foram realizadas atividades voltadas para os cuidados com o Meio Ambiente, com destaque para a sustentabilidade; daí a sua denominação: Distrital + 20 Sustentabilidade. “Apesar de os cuidados para com o Meio Ambiente ser um dos artigos que constituem a Lei Escoteira – os Escoteiros já se preocupam com o Meio Ambiente há mais de um século, desde sua fundação, em 1907, por Baden-Powell – cuida-se para que as ações de seus membros sejam incorporadas pelos seus semelhantes com os quais convivem”, explica Simões. “Se cada um fizer a parte que lhe cabe poderemos deixar a herança de um mundo melhor para as gerações futuras”, acrescenta.”

EDITORIAL

Como testemunho pessoal, posso afirmar o positivismo cívico do Grupo Escoteiro “Padre Anchieta” em Botucatu. 


Eu tive o privilégio de ser LOBINHO, por pouco tempo, mas fui.

Com o apoio e o incentivo do amigo Beto Menegon, já LOBINHO mais experiente, vivenciei por quase um ano essa atividade. Depois, indo estudar interno em São Paulo, não pude mais participar.
Mas a semente havia germinado e pude, anos depois, encaminhar meus filhos Marcelo e Armando para o Grupo Escoteiro “Padre Anchieta”, onde ficaram por quase 2 anos, quando tivemos que voltar a São Paulo por compromissos profissionais que tive que assumir.

Armandinho (esquerda) e Marcelo (direita)
Mas o desafio ainda continua e mantenho a esperança de que meus netos, a Laura (8 anos) e o Neto (6 anos) venham a integrar esse verdadeiro CELEIRO DE CIDADÃOS PRESTANTES!
Valeu, GEPA – 27!
SEMPRE ALERTA!!!



Registro Histórico:

No 159º Aniversário de Botucatu, 14/04/2014, a presença positiva e cidadã do GRUPO ESCOTEIRO “PADRE ANCHIETA”, e a presença do novos lobinhos: Laura Delmanto e Armando Moraes Delmanto Neto, tendo no desfile contado com a presença de seus pais, Armando e Lucia, carregando a faixa do Grupo Escoteiro:

clique nas imagens para ampliá-las



clique na imagem para ampliá-la

5 comentários:

Anônimo disse...

Ser Bandeirante!
"E fazer todos os dias uma boa ação"
Eu fui bandeirante e tinha muito orgulho de ser. Cheguei a Guia e recebi o lenço bordô. Participei do Grande Acampamento Bandeirante, realizado em Botucatu, na Fazenda Lageado, em 1954. Foi um grande evento para a cidade de Botucatu. Vieram 400 bandeirantes, de todo o Brasil e do exterior. A coordenadora era a Guia/Chefe Leda Bertoncini. Eu era bandeirante em Presidente Prudente. Lembro bem de uma música:
“Em volta da fogueira
Aonde o fogo jamais cessa
Sentimo-nos unidas
Pela nossa promessa...”
Beth Nogueira Delmanto (adelmanto@hotmail.com)

Anônimo disse...

Grace Maria Mattos (Facebook/Venezuela): QUE BONITO É SER ESCOTEIRO----

Anônimo disse...

SEMPRE ALERTA!
E ficar atento às necessidades das pessoas, principalmente dos mais velhos. A “boa ação” volta em dobro e o jovem começa a se sentir “parte” de uma sociedade que ainda é um pouco estranha pra ele. E nos tempos atuais, com as redes virtuais, mais importante ainda pertencer a uma REDE REAL, POSITIVA E CIDADÃ!
E viva o ESCOTEIRO!
(haroldo.leao@hotmail.com)

Anônimo disse...

Ana Maria Tancler Stipp (Facebook): Acho esse Grupo fantástico. Meus filhos foram Lobinhos e depois Escoteiros. Eles amavam e nós, os pais, acompanhavamos tudo de pertinho, participavamos sempre. Eles aprenderam mto, principalmente respeito, disciplina e autonomia.

Elis Regina Maria disse...

olá quero saber qual o nome da cachoeira que o grupo de escoteiros visitou e como chegar lá?

Postar um comentário